Seja bem-vindo, deseja


localize seus livros
utilize a busca e localize a obra desejada em nosso catálogo

Para uma história da belle époque - coleção de cardápios de Olavo Bilac

R$130,00

Categoria(s)

Detalhes

´"Este livro em que Lúcia Garcia reuniu, com gosto e rigor, o melhor da coleção de cardápios de Olavo Bilac - a mais importante de que, no Brasil, se tem notícia - revela como novos padrões estéticos se iam popularizando no país, na chamada belle époque, e como, pela lista de pratos de prestígio e de festa, se afrancesavam cada vez mais as suas elites. Diante de cada um desses cardápios, ficamos a imaginar os assuntos que animariam as conversas entre vizinhos de mesa(...)" - Alberto da Costa e Silva

Informação Adicional

Código 12.0.813.894
Largura (em cm) 28
Comprimento (em cm) 21
Altura (em cm) 2.6
Número de Páginas 288
Peso Bruto (em kg) 2.5
Formato da Capa Capa Dura
Ano de publicação 2011
Tipologia Walbaum
Papel Capa Couchê Fosco 150 g/m²
Papel Miolo Couchê Fosco 150 g/m²
Editora ISBN ISSN
IMPRENSA OFICIAL DO ESTADO S/A 9788540100305 -
ACADEMIA BRASILEIRA DE LETRAS 9788574402277 -
saiu na mídia Livro resgata lado gourmet de Olavo Bilac. O livro Para uma história da belle époque: a coleção de cardápios de Olavo Bilac, da historiadora Lúcia Garcia, com prefácio do acadêmico Alberto da Costa e Silva, mentor do projeto. Olavo Bilac, mais conhecido como o expoente da poesia parnasiana no Brasil e um dos fundadores da ABL, foi também um grande cronista de seu tempo, entre 1890 e 1910, época. Frequentou assiduamente os banquetes comemorativos de atos e iniciativas públicas, comuns no fim do século XIX e começo do XX. Passou, então, a colecionar cardápios desses eventos, que possibilitaram à autora Lúcia Garcia uma seleção dos mais significativos, tendo em vista sua contextualização histórica, permitindo ao leitor, com isso, conhecer acontecimentos memoráveis da história do Rio de Janeiro e da belle époque. A coleção revela o requinte e a sofisticação, não somente na elaboração gráfica dos cardápios, como também dos almoços e jantares que reuniam a elite da sociedade carioca da época. Retrata, ainda, um dos aspectos menos conhecidos do poeta: a do jornalista gourmet, do carioca amante da boa mesa, do poeta que se rendia à sociabilidade e à celebração do prazer gastronômico. É sobre esse Bilac, sobre sua coleção de cardápios guardada na ABL desde o começo do século passado, apresentada pela primeira vez em conjunto, de que trata também o livro. - CBN Tempo de Letras